Geração Y: excesso de informações e ansiedade que influenciam o mercado

Por Wilson Martins e Daniele Rodrigues

A sociedade foi se modificando lentamente com o aumento gradativo de jovens que começaram a passar muito tempo na internet e consequentemente, viverem conectados ao mundo cibernético. Conhecidos como Geração Y, tempo em que as informações chegam de maneira mais rápida e em todos os lugares, tudo passou a ser feito com pressa e ansiedade.
Quando se fala em Geração Y, também é lembrado o mercado de trabalho, porém somente as características não tão boas para um profissional. São elas: impaciência, impulsividade, pressa, insubordinados, ansiosos e ambiciosos. Desta forma, os jovens atuais sofrem um pré conceito de outras gerações, ou seja, as gerações X, os babyboomers e os tradicionalistas caracterizam a geração Y muitas vezes como inconsequente às vistas do mercado.
Apesar do fator tecnológico influencia mais a geração Y para a tendência ao descomprometimento com o trabalho, a sociedade brasileira em geral vêm apresentando indícios de ansiedade e de mudança de emprego com rapidez, mas também é resultado do mercado estar mudando cada vez mais e as oportunidades têm aumentado, e isso prova que essas ações não são exclusivas da nova geração.
Para a contratação desses profissionais, é possível analisar se o candidato possui esse leque de conhecimento proporcionado pelos dias atuais e até mesmo com a internet. Cada geração possui uma característica específica, e, mesmo que a atualidade seja marco a rápida comunicação e a influência de fatores econômicos, não se deve rotular a geração Y, mas sim fornecer recursos para as pessoas se desenvolverem profissionalmente.